sexta-feira, 18 de abril de 2014

JEQUITIBÁ-ROSA

O Jequitibá-rosa é considerado a maior árvore nativa do brasil. Seu nome cientifico é Cariniana legalis. Ocorre na mata atlântica, principalmente nas encostas úmidas e na florestas, compostas pelas arvores mais altas. É difícil não se impressionar ao avistar um jequitibá-rosa, cuja altura pode atingir 50 metros e o tronco ter mais de 10 metros de diâmetro. Algumas dessas arvores tem mais de 1.500 anos e ainda produzem frutos- na qual os macacos adoram. Por causa de sua madeira nobre, o jequitibá-rosa foi quase extinto na natureza. Mas essa história pode tomar outro rumo. Afinal, esta arvore se adapta bem aos locais úmidos e é indicada para a recomposição de matas ciliares ou de galerias, aquelas que margeiam os rios. A planta agradece dando sobre e agua fresca. CIÊNCIA HOJE

quinta-feira, 17 de abril de 2014

FORMIGUEIRO-DE-CABEÇA-NEGRA

O Formigueiro-de-cabeça-negra e uma ave pequena e muito rara, seu nome cientifico é Formicivora Erythronotos. O Formigueiro-de-cabeça-negra só ocorre no estado do Rio de Janeiro, entre os municípios de Angra dos Reis e Paraty. Os machos são predominante negros, com exceção do dorso ruivo e dos pequenos pontos brancos que formam duas listras verticais em suas asas. As fêmeas, embora também apresentem as costas com esse tom avermelhado e os pontos brancos nas asas, são pardas no restante do corpo. Alimentam-se de pequenos insetos, que capturam nas folhagem e nos ramos de arbustos mais próximos ao solo. A reprodução dessa espécie ocorre entre agosto e fevereiro. Eles constroem seus ninhos em espécie de cestos pendurado em arvore ou arbusto próximo do chão, que são feitos com fibras vegetais e raízes, presas em forquilhas horizontais, onde geralmente são colocados dois ovos. Quando esta ave se estabelece em um território, o macho defende vigorosamente o espaço. Usa seu canto para espantar o invasor, defende seu alimento e sua parceira se preciso realiza uma perseguição. Esta ave mede aproximadamente 11 centímetros de comprimento. O Formigueiro-de-cabeça-negra, corre o risco de extinção devido a construção de casas e veraneio, por serem próximas a praias. CIÊNCIAS HOJE

domingo, 23 de março de 2014

TICO-TICO-MASCARADO

O tico-tico-mascarado, vive em regiões de capim alto, arbustos e arvores de pequenos porte. Á registros desta ave em campos de gramíneas no Distrito Federal e nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerias, São Paulo e Paraná, além da Bolívia, Paraguai, Peru e Argentina. Alimenta-se de grãos, frutos, sementes e insetos. Alimenta-se geralmente no chão. Ele apresenta uma faixa preta nos olhos, é arisco e raramente é avistado. Além da faixa preta nos olhos, um pouco mais acima, outra faixa, branca mais fina, o que ressalta mais a máscara do rosto. O restante da cabeça é preta, as costas e as asas são esverdeadas e o corpo mescla tons que variam do cinza ao negro. A cauda segue o padrão esverdeado das costas, mas por dentro ela é mais escuros, fazendo sobressair as pontas claras. Ela mede aproximadamente 14 centímetros de comprimento. O bico é bicolor, a parte superior é negra acompanhando o tom de sua máscara, e a parte inferior é amarela. Quando sente sinal de perigo ele parte velozmente. Os tico-tico-mascarado, reproduz entre os meses de Setembro a Dezembro, no qual constrói seus ninhos no chão. Esta ave corre o risco de extinção devido as queimadas podem atingi-los facilmente. Além das queimadas, a transformações dos campos em terrenos de pastagem, e plantio ameaça a existência desta ave, essas práticas eles perdem seus ovos e filhotes.

sábado, 22 de março de 2014

GAVIÃO-POMBO

O gavião-pombo seu nome cientifico é Leucopternis Lacernulata, seu tamanho é de aproximadamente 45 centímetros de comprimento. Esta ave se encontra nos estados da Paraíba, Alagoas e da Bahia a Santa Catarina, habita as florestas de baixa altitude da serra do mar. Essa ave possui cauda curta e asas largas. Sua envergadura, medida de ponta a ponta da asa é de aproximadamente 85 centímetros. Quando está voando que ele é muito branco, com um desenho negro na parte externas das asas. Sua cauda também é branca, com parte inferior negra e uma faixa estreita na ponta da mesma cor. Quando esta empoleirado na borda das matas, ele é facilmente avistado, devido a coloração branca puro de sua barriga. É muito semelhante a plumagem do gavião-pombo nas fêmeas e nos machos. As aves mais jovens possui linhas muitos no alto da cabeça, as costas manchadas de branco e a cauda mais negra. O gavião-pombo na época de reprodução faz seu ninho em cima das arvores com galhos secos. Sua alimentação inclui insetos, aranhas e moluscos. A ave também pode alimentar de anfíbios, repteis, aves e mamíferos. Grande parte das áreas onde vive o gavião-pombo foi desmatada. Por isso esta ave está na lista dos animais em extinção no Brasil.

quinta-feira, 20 de março de 2014

URUTAU

Urutau, Mão-da-lua ou Pai-da-lua, seu nome cientifico é: NYCTIBIUS GRYSEUS. São aves exclusivamente de hábitos noturnos, dotadas de cabeça larga e achatada, bico e pernas pequenas e enormes olhos. As asas e a cauda são consideravelmente longas e o corpo robusto e musculoso. Alcança 37 centímetros de comprimento e uma envergadura de 85 centímetros. Um macho adulto pode de 160 a 190 gramas. Sua plumagem pode ser cinza ou marrom e o peito tem um desenho negro compactado. É uma ave que utiliza muito bem sua plumagem para se camuflar. Normalmente se passa por um pedaço de madeira, um galho de arvore ou mesmo troncos. Costuma ficar paralisado, não se assusta facilmente. O Urutau por possuir olhos grandes, poderia atrapalhar sua camuflagem, porem tem uma adaptação única chamada de “olho-magico” são duas fendas na pálpebra superior, as quais permitem que fiquem imóvel por longos tempos, observando os arredores mesmo de olhos fechados. Os Urutaus se alimentam basicamente de insetos que apanham em pleno voos, os grandes podem comer outros animais, como morcegos, lagartas e pequenos pássaros. A fêmea bota um ovo salpicado, numa cavidade natural do extremo de um tronco de arvore e choca em posição ereta. Macho e fêmea incubam o ovo por cerca de 33 dias e alimenta por 55 dias. Registram as regiões mais quentes do continente Americano. Seu canto é fantasmagórico. Muitos acham que esta ave traz agouro para a família, acabam ligando para a Polícia Ambiental, onde a ave é levada para o centro de triagem. A ave corre o risco de extinção, devido a destruição de seu habitat natural, derrubadas das matas, para criação de gato, para plantio e incêndios criminosos. Video mostra Urutau ou Pai da Lua encontrado pelo ambientalista Aramy na zona Rural de Fagundes - PB. https://www.youtube.com/watch?v=OHhvfI_E-XU

segunda-feira, 17 de março de 2014

TARTARUGA-VERDE

A tartaruga-verde ou Aruanã, é uma das cinco espécies de tartaruga marinhas que existem no Brasil. (no total só existe sete espécies em todo o mundo). Seu nome científico é Chelonia Mydas, medindo de sua carapaça 71 centímetros a 1,50 metros, seu peso em média é de 250 quilos, mas pode atingir 350. Na costa do nosso Pais, ela costuma por seus ovos em trechos que vão do Para até o Sergipe e em ilhas oceânicas, como Fernando de Noronha, trindade e atol das rocas. Elas nascem com cerca de 20 gramas e correm para o mar logo após saírem de seus ovos. Este percurso é muito perigoso, existem diversos predadores em terra firme, no ar e na agua. Quando eles entram na agua, as tartarugas, dirigem-se a lugares mais seguros, como os bancos de algas flutuantes em mar aberto onde encontram alimentos e abrigo. Na época de reprodução as tartarugas fêmeas, quase sempre retornam à praia que nasceram, anualmente ou a cada dois ou três anos. Fazem os buracos na areia para pôr de 35 a 190 ovos. Depois retornam à agua e não tem mais contato com os filhotes. Quando jovem as tartarugas-verde alimenta-se de pequenos moluscos, vermes, caranguejos, medusas e águas-vivas. Porem quando adulto alimentam-se de algas e grama marinha. A tartaruga-verde recebe este nome devido a gordura acumulada embaixo dela e dá um tom esverdeado. A tartaruga-verde está ameaçada de extinção a décadas a tartaruga vinha sendo caçada para servir de alimentos. A sua carne era muito apreciada assim como seus ovos. O que fez diminuir sua população, hoje a caça está proibida. De acordo com a Lei de Proteção à Fauna, em seu artigo 3º, dispõe que “é proibido o comércio de espécies da fauna silvestre e de produtos e objetos que impliquem a sua caça, perseguição, destruição ou apanha”. Destaque também para a Lei de Crimes Ambientais (Lei n.º 9.605/98), que em seu artigo 29 tipifica como crime matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes de fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida autorização ou permissão da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida. RAMON SANTOS

domingo, 16 de março de 2014

ESCORPIÃO RARO

Vale a pena conhecer um escorpião raro, encontrado apenas em uma caverna do Brasil, ao contrário de seus parentes que vivem fora de cavernas, está espécie tem cor rara: é esbranquiçada. Pouco se sabe sobre este escorpião encontrado na chapada diamantina, na gruta do lapão, uma caverna localizada na região central do estado da Bahia. Este escorpião mede cerca de 38 milímetros. Seu nome cientifico é Troglorhopalurus Translucidus. Os escorpiões fazem parte de uma teia alimentar, são alimentos para mamíferos, aves e até de outros aracnídeos. O escorpião se alimenta de insetos e outros pequenos animais. Os escorpiões tem seu papel importante na natureza, é importante preservar seu habitat e estuda-los. A grande maioria dos escorpiões é inofensivo ao ser humano, a dor da picada não é mais dolorosa a de uma abelha. No Brasil somente duas espécies são perigosas, o escorpião amarelo e o marrom.